Share

The Wrap: Sob nova direção

Entenda as revoluções do setor automobilístico no The Wrap desta semana.

Sob nova direção

Carro com motorista? Ao que tudo indica, em breve isso pode ser coisa do passado. Isso porque, já não é mais novidade que a grande aposta da indústria automotiva nos últimos tempos é o sistema de direção autônoma. O setor vê na automação da direção a possibilidade de mudar todo o conceito que conhecemos hoje. Sem motorista na direção, carros podem inclusive se transformarem em estações de consumo de mídia.

 

Nem tudo é fácil quando se fala de uma ideia ambiciosa como essa. Criar um sistema seguro de direção autônoma vem se provando um enorme desafio. Gigantes como Lyft e Uber já desistiram de seus projetos. 

 

Enquanto a Lyft vendeu sua unidade de carros autônomos para a Toyota por US$ 550 milhões, a Uber vendeu sua unidade de desenvolvimento de veículos sem motorista por US$ 4 bilhões para a Aurora, uma startup que também atua no setor.

 

Por outro lado, a Tesla segue firme e forte na busca por carros sem motoristas. A primeira citação ao projeto foi feita em 2013 e, dois anos depois, a montadora lançou atualização de sistema que oferecia sistema de piloto automático. 

 

O sistema foi sendo atualizado até 2019, quando a marca lançou o “full self-driving computer”. A novidade foi bem recebida mas, logo, o software se mostrou falho e causou problemas que chamaram a atenção das autoridades americanas, que começaram a investigar o sistema. Segundo a National Transportation Safety Board (NTSB), o sistema autônomo da marca não é realmente automático, mas as investigações ainda não foram concluídas.

 

Enquanto isso, a Tesla admite que ainda é preciso ter um condutor humano pronto para assumir a direção quando o sistema de direção autônoma estiver ativado e que a companhia só dá acesso inicial ao sistema para condutores considerados “seguros”. Apesar dos problemas, as ações da Tesla continuam em alta. 

 

Na última semana, a empresa de aluguel de carros Hertz anunciou que pretende comprar 100 mil carros da montadora, o que fez com que a Tesla entrasse no clube das empresas que valem US$ 1 trilhão na bolsa.

 

Enquanto carros do futuro não são uma realidade, o setor trabalha para lançar outras ideias inovadoras.  Michelin e a General Motors, por exemplo, querem reinventar a roda.

 

As duas empresas se uniram para criar um novo pneu, a prova de furos. O resultado foi o Uptis, sigla em inglês para Sistema Único de Pneu à Prova de Furos, que está em fase de testes. O pneu é vazado nas laterais e, ao invés de usar ar pressurizado, usa raios de plástico reforçado com vidro para apoiar a roda de bandagem. A Michelin planeja começar a vender o produto em 2024, com segurança e, ainda, com motorista.

 

*Esse conteúdo é apenas informativo e não deve ser entendido como uma oferta ou recomendação de investimentos.


Não tem o app da Stake?

Saia na frente! Ganhe uma ação da Nike, Dropbox, GoPro ou uma ação surpresa se você fizer um depósito mínimo de R$500 nas primeiras 24h após a abertura da conta.


Relacionados