Share

The Wrap: De volta aos anos 70?

Uma mistura de “estagnação” com “inflação”: estagflação. Em 1970 e agora em 2022, esse termo tem sido abordado pelos investidores americanos nos últimos dias. No The Wrap desta semana, você entenderá o motivo.

De volta aos anos 70?

Estagflação: o que é e como se proteger. Descubra no The Wrap desta semana.

 

Calças boca de sino, hippies e música disco: se você é fã dos anos 1970, pode ficar tranquilo porque eles estão voltando com tudo. O problema é que talvez o que esteja voltando seja a pior parte dele: a estagflação.

 

O fenômeno marcou a década de 70 nos Estados Unidos, quando o país enfrentou, ao mesmo tempo, recessão da economia com a disparada de preços. Essa junção de fatores foi a responsável pela criação do termo estagflação, que une as palavras “estagnação” com “inflação”, um quadro perigoso para a economia de qualquer país, já que tira o poder aquisitivo de uma população que sofre com a falta de crescimento da economia.

 

Na década marcada pela estagflação nos Estados Unidos, o país reunia alguns fatores preocupantes, como alta variação do preço de petróleo, que chegou ao seu ápice na crise da commodity em 1973, que pressionou a inflação no país. Isso, somado a uma política monetária expansiva e baixa taxa de crescimento fez com que a estagflação fosse assunto comum na época.

 

Cenário atual

 

Agora a estagflação americana começa a ameaçar, mas de forma diferente dos anos 70.

 

Uma das grandes diferenças está na taxa de desemprego americana, em baixa histórica de apenas 3,6% da população economicamente ativa sem posto de trabalho. O problema está sendo o baixo crescimento da economia americana ante uma subida acima do esperado nos preços.

 

O primeiro trimestre de 2022 registrou uma queda de 1,4% no PIB americano, a primeira caída desde o início da pandemia, em 2020. Junto a isso há uma grande expectativa de inflação, que deve ser de 8% neste ano.

 

Essa queda no PIB americano foi causada pelo declínio nas exportações devido a novas restrições por conta da Covid-19, especialmente na China. Ao mesmo tempo, as importações cresceram, afetando a balança comercial. Além disso, os problemas nas linhas de fornecimento de materiais continuam afetando o mundo inteiro.

 

Apesar dos números, os fatores que levaram ao quadro de estagflação se mostram passageiros. O Federal Reserve (banco central americano) já entendeu isso e está se utilizando de uma política monetária mais ativa, elevando as taxas de juros para segurar a pressão inflacionária.

 

A não ser que o mundo viva um novo choque do petróleo, a estagflação preocupa, mas não deve tirar o sono dos investidores.

 

 

*Esse conteúdo é apenas informativo e não deve ser entendido como uma oferta ou recomendação de investimentos.


Não tem o app da Stake?

Saia na frente! Ganhe uma ação da Nike, Dropbox, GoPro ou uma ação surpresa se você fizer um depósito mínimo de R$500 nas primeiras 24h após a abertura da conta.


Relacionados