1. The Stake Desk
  2. The Wrap
  3. Qual a diferença entre investir em BDRs e investir diretamente no exterior?
Share

Qual a diferença entre investir em BDRs e investir diretamente no exterior?

Existem diversas formas de se investir no exterior e os BDRs são uma delas. Porém, quais são as características destes ativos? São lastreados em dólar ou real? É um investimento direto?

Para começo de conversa, vale entender que o BDR (Brazilian Depositary Receipt) são certificados que representam ações emitidas por empresas de fora, mas que são negociados na B3, a Bolsa do Brasil.

Por isso, o investidor que adquire um BDR não está comprando diretamente as ações de uma empresa no exterior, e sim apostando em títulos lastreados nesses papéis.

Os tipos de BDR

Existem dois tipos de BDR no Brasil: patrocinados e não patrocinados. O primeiro caso consiste na empresa estrangeira contactando uma instituição financeira nacional de modo a lançar um BDR. A empresa do exterior participa da emissão de certificados por ter interesse em atuar no Brasil.

Porém, os BDRs mais negociados na bolsa brasileira são os “não patrocinados”, em que a emissão do certificado ocorre por uma instituição depositária brasileira, sem envolvimento da companhia emissora estrangeira. Desta forma, todas as informações repassadas ao investidor são de responsabilidade da instituição depositária, e não da companhia estrangeira.

Por ser negociado no Brasil, a liquidez dos BDRs fica restrita ao país e ao seu mercado interno. Conheça os tipos e diferenças dos BDRs negociados no Brasil:

BDRs patrocinados

Nível I

O BDR patrocinado de nível I não precisa do registro de companhia na CVM (Comissão de Valores Imobiliários). Eles são negociados em mercados de balcão não organizados – que não são supervisionados por nenhuma entidade reguladora autorizada. Ele passa por processo menos burocrático, mas limita, em 50, o número de pessoas que podem comprar os papéis.

A instituição financeira nacional deve repassar todas as informações que a empresa de origem precisa divulgar em seu país sede, como balanço, fatos relevantes, convocação de assembleias, deliberações dos acionistas e reuniões do conselho de administração. Demonstrações financeiras não precisam ser convertidas em reais.

Nível II e III

Nos casos dos BDRs de nível II e III, a empresa emissora de ações no exterior precisa ter registro na CVM. Os títulos precisam ser negociados no balcão da bolsa ou em balcão organizado e podem ser comprados por quaisquer investidores. As companhias emissoras precisam seguir as mesmas regras de transparência e governança estabelecidas para as empresas brasileiras registradas junto à CVM, como “Categoria A”, como fazem, por exemplo, a Petrobrás e a Vale.

A diferença entre o BDR de nível II e de nível III está nas ofertas públicas de certificados. Os de nível II só podem ser transacionados em ofertas públicas com esforço restrito – oferecida para no máximo 75 pessoas com limite de 50 compradores. Já os certificados de nível III podem ser transacionados em ofertas públicas amplas, sem restrições.

BDRs não patrocinados

Os BDR não patrocinados são considerados como um BDR de nível I. A diferença é que essa categoria de ativo não tem envolvimento da empresa estrangeira, sendo uma iniciativa apenas da instituição financeira que opera no Brasil.

Os BDR não patrocinados são a maioria desta classe de ativos negociados no Brasil e são geralmente criados por empresas que querem aumentar seu portfólio de ativos a oferecer. As empresas que oferecem esses ativos assumem a responsabilidade de repassar as informações da empresa estrangeira para os investidores dos BDR brasileiros.

Apesar da facilidade de comprar ativos com cotas no exterior e o acesso a setores que não são negociados por aqui, pelo Brasil ter uma moeda fraca internacionalmente, o BDR está sujeito a depreciação de valor por conta do câmbio. Além disso, por estarem lastreados no Brasil, os BDR tem sua liquidez limitada ao mercado nacional, não se aproveitando plenamente da força do mercado americano. Diferentemente de ações, com isenção de até R$ 20.000 de lucro/mês, para BDRs não existe isenção.

Há poucas opções de BDR em comparação com as opções de ações no mercado americano. São cerca de 500 BDRs negociadas no Brasil contra mais de 6.000 opções de ações do mercado americano.

Investindo diretamente no exterior

O primeiro passo é abrir uma conta na Stake em menos de 5 minutos. Com a conta aberta e mais de 6.000 ativos à disposição, você pode ser sócio das maiores empresas do mundo em poucos cliques. É simples e rápido, com câmbio integrado, você deposita em reais e recebe em dólares americanos na sua conta Stake. Tudo isso sem pagar por corretagem. 

Gostou da ideia e quer começar a investir agora mesmo? Então clique aqui e abra já a sua conta!

*Esse conteúdo é apenas para informação e não deve ser entendido como uma oferta ou recomendação de investimentos. Performance passada não garante resultados futuros.


Não tem o app da Stake?

Ganhe uma ação no valor de até {{count}} dólares se fizer um primeiro depósito mínimo de R$500 nas primeiras 24h da abertura da conta.


Relacionados