Share

Investir no exterior: Saiba o que é uma poison pill

Tome uma pílula de veneno e salve sua empresa. Esta é a lógica por trás das poison pills. A ideia é você se proteger abrindo mão de ativos, mas não do controle da companhia. Entenda o mecanismo no blog da Stake desta semana.

Investindo nos EUA: Saiba o que é uma poison pill

 

Se na última semana falamos sobre hostile takeovers que acontecem no mundo corporativo, hoje vamos falar sobre o “contra-ataque” para estas ações: as poison pills.

 

O termo se refere a uma série de estratégias corporativas que buscam proteger a empresa em vias de trocar de comando. A ideia é usar táticas que dificultam a concretização do hostile takeover ao deixar a empresa menos atrativa para o potencial comprador.

 

O nome “poison pill” faz referência às pílulas de veneno que os espiões usavam em caso de serem capturados – para evitar a revelação de segredos aos inimigos.

 

Como a própria referência supõe, uma poison pill pode não ser fácil de engolir, mas é uma solução possível.

 

O objetivo de lançar mão de uma poison pill é deixar uma empresa “menos atraente” para quem quer comprá-la, criando empecilhos para o potencial novo dono, ou lançando novas ações, que diluem a porcentagem da empresa de quem quer seu controle. A ideia é que uma poison pill proteja acionistas minoritários e evite mudanças na chefia da empresa

 

Existem basicamente dois tipos de poison pills que uma empresa pode tomar: a estratégia flip-in e a flip-out.

 

Flip-in poison pill

 

Nessa estratégia, a empresa que está para ser adquirida lança uma série de novas ações, que poderão ser compradas com desconto por todos os acionistas da companhia, menos aqueles que buscam tomar controle da empresa.

 

Como consequência, os compradores dos novos ativos ganham lucros instantâneos, enquanto os acionistas que buscam controlar a empresa veem suas participações serem diluídas graças a mais ações no mercado.

 

Flip-out poison pill

 

A flip-out poison pill se baseia na lógica do feitiço que vira contra o feiticeiro. Nesta estratégia, a empresa que está sendo alvo de uma hostile takeover coloca como condição para fechar o negócio que seus atuais acionistas possam comprar ações da companhia que está buscando a compra.

 

A ideia é povoar a empresa compradora com pessoas da empresa comprada, diminuindo a influência da atual diretoria.

 

Com essa estratégia, é possível criar pontos de influência no conselho da empresa compradora por membros da empresa comprada.

 

Outra vantagem de uma flip-out poison pill é que ela diminui a participação de acionistas antigos para a chegada de novos investidores, vindos da empresa comprada. Isso é feito para desencorajar os acionistas antigos, que perderiam influência e participação na empresa caso a compra seja fechada nos termos que permitiriam uma flip-out poison pill.

 

 

 

*Esse conteúdo é apenas para informação e não deve ser entendido como uma oferta ou recomendação de investimentos. Performance passada não garante resultados futuros.


Não tem o app da Stake?

Saia na frente! Ganhe uma ação da Nike, Dropbox, GoPro ou uma ação surpresa se você fizer um depósito mínimo de R$500 nas primeiras 24h após a abertura da conta.


Relacionados