Share

Investir no exterior: como investir em índices dos Estados Unidos

Já ouviu falar de fundos de índices ou ETFs? Sabia que eles replicam rendimentos de todo o mercado e têm baixa taxa de administração? Veja no blog da Stake

Já pensou em investir em uma série de ativos de um mercado específico de uma só vez? Pois saiba que é possível, e sem fórmula mágica. Chamados de ETFs (Exchange Traded Funds), o fundo de índice condensa todo o resultado  de um grupo de empresas no mesmo lugar através da compra de ações de um setor, buscando espelhar os movimentos desse índice. 

 

É como se você estivesse investindo em uma cesta de ações cujo objetivo sempre é replicar os resultados do índice (como o S&P 500 ou o Ibovespa). Quando se compra uma participação no ETF, você compra um pedacinho de todas as empresas que participam do setor ou do índice.

 

Vantagens de investir em ETFs

 

Uma das vantagens de investir nesses ativos é que eles têm como o objetivo buscar o resultado do índice de referência, fazendo com que a gestão do fundo seja passiva e esses ativos tenham menor taxa de administração.

 

Outro ponto positivo dos ETFs está na sua solidez. Investir em ações individuais traz diversos riscos, já que a empresa pode falir, se tornar obsoleta, se ver envolvida em um escândalo de corrupção ou diversas outras coisas que fogem do controle do investidor.

 

Já os fundos de índice são como uma cesta com várias ações e seu resultado tende a acompanhar o da bolsa. Então, mesmo se alguma empresa sofrer grande desvalorização, o fundo não vai ser tão impactado, já que os ativos administrados estão diluídos.

 

Com resultados que replicam os da bolsa, os fundos de índice também têm histórico de serem bons investimentos de longo prazo. Um levantamento do site Measure of a Plan mostrou que o S&P 500 (grupo das 500 maiores companhias listadas na bolsa americana), teve retornos negativos em apenas 31% de seus anos e nunca registrou perda de valor em períodos de 20 anos.

 

Abaixo listamos alguns dos maiores índices do mercado americano, base para diversos ETFs negociados na bolsa de Nova York:

 

S&P 500

 

O índice foi criado em 1932 pela Standard & Poor’s, casa de análise de investimentos, que inicialmente havia criado um índice que acompanhava o desempenho de 233 companhias americanas semanalmente. O método mudou em 1926, quando 90 empresas dos Estados Unidos eram acompanhadas diariamente. O S&P 500 ganhou o nome e método atual em 1957.

 

O índice atualmente é o mais aceito nos Estados Unidos e, ao final de 2020, cerca de US$ 5,4 trilhões estavam investidos em fundos atrelados ao desempenho das companhias da lista. 

A escolha das empresas da lista segue critérios como tamanho do mercado onde atuam e liquidez da empresa. Atualmente, 505 ativos compõem a S&P 500. O número é maior pois há empresas que negociam mais de um tipo de ação.

 

As empresas da lista são avaliadas trimestralmente por um comitê de investidores, já que as empresas da lista não são, necessariamente, as maiores dos Estados Unidos, mas sim as mais importantes para o mercado americano.

 

Dow Jones Industrial Average

 

É talvez um dos índices de mercado mais antigo do mundo, iniciado em 1896. Ele reúne 30 empresas líderes de seus respectivos setores na bolsa de valores dos Estados Unidos e é considerado um termômetro da saúde do mercado.

 

O índice recebe este nome pois começou compilando o resultado de 12 grandes empresas dos Estados Unidos, na época todas as indústrias. Com o passar do tempo, mais setores foram incorporados e, atualmente, a Dow Jones Industrial Average só não inclui empresas das áreas de transportes e utilidades, contempladas na Dow Jones Transportation Average.

 

Diferente de outros índices, calculados pelo valor de mercado das empresas analisadas, o Dow Jones Industrial Average calcula a média de preço das ações das 30 empresas através de uma fórmula chamada “Dow Divisor”, que leva em consideração outros aspectos das empresas, como aquisições e o potencial de seus projetos.

 

Nasdaq Composite Index

 

O Composite Index da Nasdaq é o que considera o maior número de ativos entre os índices citados: mais de 2.500.

 

O número é alto pois o índice considera quase todos os ativos negociados na Nasdaq. Por se tratar de uma bolsa de valores com grande presença de tecnologia, o índice é considerado um termômetro para o setor – quase metade dos ativos negociados na Nasdaq são de empresas de tecnologia.

 

Pela abrangência do Composite Index, a Nasdaq tem um segundo índice, chamado Nasdaq-100, que inclui as 100 maiores empresas da bolsa, tirando companhias ligadas a finanças. Este índice se assemelha mais ao S&P 500 e ao Dow Jones Industrial Average em relação à escolha e representatividade das empresas que fazem parte da lista.

 

 

*Esse conteúdo é apenas para informação e não deve ser entendido como uma oferta ou recomendação de investimentos. Performance passada não garante resultados futuros.


Não tem o app da Stake?

Saia na frente! Ganhe uma ação da Nike, Dropbox, GoPro ou uma ação surpresa se você fizer um depósito mínimo de R$500 nas primeiras 24h após a abertura da conta.


Relacionados