Share

Investir no exterior: como investir em commodities

Você já deve ter escutado o termo “ciclo de commodities”. Mas você sabe como ele funciona? E, afinal, como investir nele? Entenda no nosso blog.

É comum ler no noticiário brasileiro o termo “ciclo de commodities”. Em um país que tem sua economia baseada em grãos e outras matérias-primas, o preço das commodities são determinantes para o andamento do mercado nacional. Uma queda no preço da soja pode causar um efeito dominó negativo, assim como o aumento no preço deste mesmo produto pode gerar um novo ciclo de investimentos no país.

 

Commoditie é o termo usado para produtos não industriais que são base para uma série de outros mercados. Como dissemos, a soja é uma commoditie, assim como o ouro, o petróleo e o minério de ferro. Porém, ninguém usa petróleo puro ou soja pura. No primeiro caso, se refina o produto para a produção de gasolina, enquanto, no segundo, os grãos são usados para alimentar gados ou produzir outros produtos, como o tofu.

 

Commodities no mercado financeiro

Apesar de serem produtos naturais, as commodities também são ativos negociados em bolsa. Porém, diferente de ações ou fundo de investimentos, o preço de uma commoditie não é ditado por uma empresa, mas sim pela oferta e demanda mundial do produto.

 

Uma geada acabou com campos de milho nos Estados Unidos? Pode ter certeza que o preço do milho no mundo inteiro vai subir, independente das outras plantações no planeta estarem intactas.

 

Por serem produtos base para outras coisas, não existe no universo das commodities marcas ou grifes, mas sim números absolutos de produção e venda.

 

Por conta disso, investir em commodities requer mais estudo do que o investimento em outros ativos. Se você quiser entender o preço da laranja, é preciso estudar a produção do produto na Flórida e no estado de São Paulo. Já acompanhar os preços do petróleo requer entendimento do que acontece na Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP).

 

Investimento em contratos futuros

Investir em commodities é investir, teoricamente, em algo físico. Então, se você comprar 10 mil sacas de soja para investir, teria que arranjar espaço para guardar este material. Como isso não é factível para muita gente, grande parte dos investimentos nesses ativos são em contratos futuros, que podem ter liquidação física ou financeira.

 

Um contrato futuro consiste em “travar” um preço, isso é, aceitar pagar ou receber valor X pelo ativo após determinado tempo. Caso o investidor tenha comprado, se o valor da data for acima daquele que ele “travou”, ele recebe a diferença no caso de um contrato com liquidação financeira. Se for mais baixo, ele paga a diferença. 

 

Por isso, é vital entender o ciclo e as notícias sobre a produção de commodities no mundo para começar a investir nesse tipo de ativos.

 

Comércio mais antigo do mundo

As commodities têm um papel fundamental para a história da economia. Foi através delas que se iniciou a noção de investimento. Seja nas grandes navegações em busca de especiarias (produto raro e com alta demanda, alto valor de revenda) ou para que fazendeiros protegessem seus lucros, o que iniciou o comércio de commodities na contemporaneidade.

 

Em 1848, a Chicago Board of Trade permitiu que fazendeiros começassem a determinar o preço de seus grãos em diferentes partes do ano, ao invés de fazer isso apenas na época da colheita, quando os preços normalmente eram menores. Ao concordar com a negociação de “contratos futuros”, vendedores e compradores conseguiam se blindar das variações de preços causadas por agentes externos.

 

A importância das commodities para a bolsa de valores é tamanha que o teto da New York Stock Exchange tem detalhes de folhas de tabaco, produto que faz nascer a instituição. Abaixo, alguns tipos de commodities: 

 

Energia – Este mercado inclui ativos como petróleo, gás natural, carvão, etanol e até urânio. Recentemente fontes de energias renováveis começaram a ser negociadas, como energia solar e eólica.

 

Minérios/metais – É importante destacar que neste setor há minérios com grande presença de determinado elemento químico que podem ser transformadas em outros produtos, como o aço, além de metais como ouro, prata, cobre e platina.

 

Produtos agrícolas – Talvez o setor com o maior número de materiais. Inclui desde grãos como soja, trigo e girassol, até frutas e outros materiais de extração como algodão, óleo de palmeira e outros.

Animais – Setor de commodities que negocia cabeças de gado, carneiro e todo tipo de animal.

 

Como investir em commodities pela Stake

Investir diretamente em commodities através de contratos futuros pode ser caro, difícil e arriscado. Felizmente existem hoje mais de 100 ETFs diferentes que investem nesse tipo de ativo listados na bolsa americana, que você consegue acessar através da plataforma da Stake. Basta buscar o nome da commoditie na plataforma para encontrar uma série de fundos que investem no material desejado.

 

*Esse conteúdo é apenas para informação e não deve ser entendido como uma oferta ou recomendação de investimentos. Performance passada não garante resultados futuros.


Não tem o app da Stake?

Saia na frente! Ganhe uma ação da Nike, Dropbox, GoPro ou uma ação surpresa se você fizer um depósito mínimo de R$500 nas primeiras 24h após a abertura da conta.


Relacionados