Share

Analu Peralo: “No momento, todo mundo está de olho no movimento chamado “‘metaverso””

No De Olho em Wall Street desta semana, Analu Peralo do canal Visão Lucrativa projeta a economia mundial para 2022: “daria uma atenção especial ao setor de desenvolvimento e entretenimento, algo que não é tão visto no Brasil.”

Em conversa com a Stake, Analu Peralo, do canal Visão Lucrativa, falou das perspectivas da economia mundial para 2022. Entre os setores que enxerga com potencial para o próximo ano, ela destacou o de tecnologia, que pode ter novo boom com o metaverso.

 

Confira a conversa exclusiva:

 

Como começou a investir? Aprendeu isso com alguém?

Eu comecei a investir por volta dos meus 20 anos. Não conhecia ninguém que investisse e o assunto era pouco comentado nas redes sociais. Então, comecei a ler livros, artigos e assistir a vídeos para começar a pensar no que eu faria com meu dinheiro. Sabia que o dinheiro precisava trabalhar ao meu favor e a ideia da renda passiva me atraia muito.

 

Qual caminho indica para quem quer começar a investir?

Primeiro, a pessoa deve conhecer seu perfil de investidor e ter um objetivo bem definido respeitando seu perfil.

 

Se for uma reserva de emergência, precisa saber quanto de reserva. Se for ter liberdade financeira, precisa saber quanto quer receber de renda mensal, em quanto tempo gostaria de ter esse rendimento, qual aporte poderia fazer e em qual taxa gostaria de investir. Diria que o planejamento através de um objetivo bem definido é a metade do caminho andado.

 

Você investe no exterior? Pensa que investir fora do Brasil também é possível para quem não tem muita experiência de mercado?

Invisto no exterior porque não dá para ficar refém do que pode acontecer com a política e economia do Brasil. Investir no exterior é uma forma de proteção, uma forma de ter exposição a uma moeda resistente e de ter acesso às melhores empresas do mundo porque, consequentemente, são as empresas mais sólidas também.

 

Para quem está iniciando é altamente possível investir no exterior. Diria que também é extremamente importante. Afinal, ao diversificar sua carteira corretamente desde o início, fica muito mais fácil de aproveitar oportunidades e ter a proteção do seu investimento.

 

Quais as principais oportunidades de se investir fora? O que perdemos quando ficamos restritos ao mercado brasileiro?

Investindo fora você se torna sócio das maiores empresas do mundo com apenas poucos dólares. Você consegue acesso a setores não tão explorados no Brasil, como tecnologia, por exemplo.

 

Se você só tem dinheiro no Brasil, pode ocorrer uma crise política e a moeda simplesmente se desvalorizar. Isso pode acontecer mesmo em países com muitas riquezas naturais. Podemos observar isso na  Venezuela. Ninguém imaginava que a desvalorização tão forte da economia venezuelana pudesse acontecer

 

Como avalia as diferenças do mercado americano e do mercado brasileiro?

O mercado americano é mais solidificado, com moeda forte e empresas de alto crescimento no setor tecnológico. Já o mercado brasileiro tem muito para onde crescer. Nosso número de investidores na bolsa ainda é baixo e estamos aumentando ano após ano. Ambos mercados possuem oportunidades a serem observadas.

 

Poderia nos dizer em que está atenta no mercado americano? Algum setor específico?

Acho que no atual momento, todo mundo está de olho no movimento chamado “metaverso” (risos). Eu diria que a tecnologia, de modo geral, me agrada muito.

 

Vemos produtos eletrônicos cada vez mais essenciais, redes sociais que lucram muito com anúncios e prendem atenção de grande parte da população, tecnologias que pretendem melhorar a saúde humana, carros mais ecológicos e mais econômicos… Enfim, tecnologia (risos).

 

Também daria uma atenção especial ao setor de desenvolvimento e entretenimento, algo que não é tão visto no Brasil. Nos EUA, o entretenimento é algo bem difundido.

 

Quais as perspectivas para o mercado americano em 2022?

Espero que variantes do COVID-19 não interfiram na economia. Entretanto, acredito muito nas empresas de desenvolvimento e tecnologia. Acredito que, se essas empresas contribuírem para uma experiência fora do comum para o usuário, elas tendem a lucrar bastante.

 

Lembrando que existe agora  o 5G e acredito que, no próximo ano, ele pode revolucionar muitos mercados que tenham um viés tecnológico para uma melhorar a vida do ser humano.

 

 

 

 

 

*Esse conteúdo é apenas para informação e não deve ser entendido como uma oferta ou recomendação de investimentos. Performance passada não garante resultados futuros. As opiniões expressadas nesse artigo são do entrevistado e não representam necessariamente a opinião da Stake.


Não tem o app da Stake?

Saia na frente! Ganhe uma ação da Nike, Dropbox, GoPro ou uma ação surpresa se você fizer um depósito mínimo de R$500 nas primeiras 24h após a abertura da conta.


Relacionados